sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Um pouco de Ana C.

"Não adianta".

Antes havia o registo de memórias
cadernos, agendas, fotografias.
Muito documental.

Eu também estou inventando alguma coisa
para você.
Aguarde até amanhã.

Uma vez ouvi secamente o chega pra lá
e pensei: o mundo despencou

quem teria a chave?
Chamem os bombeiros, gritou Zelda.

Alegria! Algoz inesperado.

3 comentários:

Anônimo disse...

O minimalista da Ana Cristina César é sempre cativante. Qual edição você recomenda, Andréa, para uma visão da obra?

Andréa disse...

Anônimo: recomendo sempre: "inéditos e dispersos" e "a teus pés". Os que tenho são do Institudo Moreira Salles.

Maíra da Fonseca Ramos disse...

ADORO!!!