quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

2010


De Emily Dickinson:

I could not prove the Years had feet --
Yet confident they run
Am I, from symptoms that are past
And Series that are done --

I find my feet have further Goals --
I smile upon the Aims
That felt so ample -- Yesterday --
Today's -- have vaster claims --

I do not doubt the self I was
Was competent to me --
But something awkward in the fit --
Proves that -- outgrown -- I see --


Feliz 2010.

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Whitman



Foto da entrada da casa do Walt Whitman. Outubro de 2009.

E hoje: Happy Birthday to me.

sábado, 26 de dezembro de 2009

Uma aprendizagem ou o Livro dos Prazeres



Vários livros na pilha, mas este entrou na semana passada e eu li em alguns dias. Por que não tinha lido antes? Sei lá. Só agora M. me falou pra eu ler. E não vai dar pra ler tudo que a gente quer nessa vida, não é mesmo?

"Temia que, se ela conseguisse avançar a ponto de ficar mais pronta e viesse a aceitar aproximar-se dele, ele com franqueza pudesse simplesmente dizer-lhe que já era tarde. Porque até as frutas têm estação."
página 89.

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Alma Imoral - The End

Acabei "A Alma imoral" acho que na semana passada. Nilton Bonder diz que: "Transgredir é um processo, e o momento em que nos voltamos para outra direção marca um novo segmento de nossas histórias individuais e coletivas. O corpo e sua moral, por sua vez, percebem esse ato como uma 'desorientação'. No entanto transgredir é necessário." E diz ainda que um rabino advertiu que os pecados que um indivíduo comete não são o pior crime realizado por ele: "o verdadeiro grande crime do ser humano é que ele pode dar-se uma 'simples volta' a qualquer momento, mas não o faz".

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Definições de Paixão



Adoro definições do que é paixão. Pra mim, a da Danuza Leão, que coloquei aqui há tempos é a mais perfeita. Mas esta do Caio, que não é exatamente uma definição, é ótima também. Aliás vi que quase todos os posts sobre o Caio têm comentários. Carência.

Trecho da crônica "A cidade dos entretons":

"Quanto mais não-dita, melhor a paixão. Melhor, claro, em certo sentido que significa também o pior: as mais nobres paixões são também as mais cadelas".

sábado, 19 de dezembro de 2009

Haicai de José Paulo Paes

À Bengala

Contigo me faço
pastor do rebanho
de meus próprios passos.

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Boa sexta....

"Mocidade Independente

Pela primeira vez infringi a regra de ouro e voei pra cima sem medir as conseqüências. Por que recusamos ser proféticas? E que dialeto é esse para a pequena audiência de serão? Voei pra cima: é agora, coração, no carro em fogo pelos ares, sem uma graça atravessando o estado de São Paulo, de madrugada, por você, e furiosa: é agora, nesta contramão"

Elaine: para nós, meu bem - nesta contramão!!

Ana Cristina César. A Teus Pés. Página 44.

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Mais Caio

Voltemos:

"E acabava assim, de repente, ainda que não fosse absolutamente perfeito nem redondo, chovera demais nos últimos dias e havia tantos sapos pelos quintais semi-abandonados, os charcos, os poços, as minhocas retorcidas nas lamas, os plurais e a língua singular apertando tão violenta o dente contra o lábio que talvez escorresse um filete de sangue maduro sobe o branco da camisa, mas antes disso, sem efeitos, secamente, acabava assim, era uma pena, todos sentimos muitíssimo, mas que se há de fazer se acaba mesmo assim?"

Última parte de um conto sem nome. Caio 3D. O essencial da década de 70. página 164.

domingo, 13 de dezembro de 2009

Show



Show da Maria Bethânia ontem. Um dos melhores que já vi.... ou talvez o melhor? Não sei responder. Tudo foi lindo: o cenário, o repertório, ela com a mãozinha pra cima e andando descalça. Dois lenços kleenex. Não sabia nem meu nome quando o show acabou e apesar de ter durado uma hora e quarenta minutos o tempo passou rápido demais. Eu sempre quero mais. Eu e todo mundo que estava lá. 2 bis: reconvexo e noite dos mascarados. Não preciso falar mais nada.

"Mas quando cheguei aqui
Os astros podem contar
No dia em que me perdi
Foi que aprendi a brilhar
Eu vi
Virei estrela."


Última parte de "Estrela" de Vander Lee.

sábado, 12 de dezembro de 2009

A alma imoral



Estou lendo aos poucos. Não quero terminar. Tudo tem a sua hora. Tudo tem o seu porquê. Queria colocar trecho por trecho do livro e discutir com pessoas queridas. Já tiveram vontade de fazer isso? Claro que sim. Estou ainda no meio do livro. Quero estudar com o Nilton Bonder praticamente agora.

"O herói do corpo é aquele que surpreende os outros e os seduz. Seus poderes são fazer uso do passado e de suas mágicas. O que já foi feito, dito, visto, falado e escutado passa a ser o instrumento para surpreender os outros. Já o herói da alma é aquele que surpreende a si mesmo e seus poderes são o que ainda não foi feito, dito, visto, falado ou escutado. O futuro e a possibilidade de não-convencionalidade são o instrumento de poder desse herói. Trair a nós mesmos e nos surpreender conosco é algo de grande força. Enquando o corpo se deleita com as conquistas da sedução, a alma o faz nas conquistas do assombramento pela surpresa"

Página 46.

O parágrafo seguinte é ainda melhor. Mas vou deixar pra outro dia. Vou comprar vários livros e sair distribuindo de presente de fim de ano. Tanta gente precisa ler.

A foto é do site oficial: www.almaimoral.com

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Sexta e Whitman




"Walt Whitman, americano, um bronco, um kosmos,
Agitado corpulento e sensual .... comendo e bebendo e procriando,
Nada sentimental .... alguém que não se põe acima de outros homens e mulheres
nem deles se afasta .... nem modesto nem imodesto.

Arranquem os trincos das portas!
Arranquem as próprias portas dos batentes!"


Página 77

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

coração

"coração
PRA CIMA
escrito em baixo
FRÁGIL"

Leminski, Caprichos & relaxos. Página 67

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Meu mais novo poema preferido



Acho que na semana retrasada foi a feira de livros da Usp. Não fui. Não consegui. Fiz pra Mari um pedido e ela me deu de presente "A TEUS PÉS", de Ana Cristina César. Creio que era o que estava faltando. Li vários poemas ontem à noite. E este aqui... ai ai ai:

Samba-canção

Tantos poemas que perdi.
Tantos que ouvi, de graça,
pelo telefone - taí,
eu fiz tudo para você gostar,
fui mulher vulgar,
meia-bruxa, meia-fera,
risinho modernista
arranhado na garganta,
malandra, bicha,
bem viada, vândala,
talvez maquiavélica,
e um dia emburrei-me,
vali-me de mesuras
(era uma estratégia),
fiz comércio, avara,
embora um pouco burra,
porque inteligente me punha
logo rubra, ou ao contrário, cara
pálida que desconhece
o próprio cor-de-rosa,
e tantas fiz, talvez
querendo a glória, a outra
cena à luz de spots,
talvez apenas teu carinho,
mas tantas, tantas fiz...

Ô se fizemos.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Literatura Norte-Americana

Pessoas queridas,

Vou dar um workshop/curso (ainda não sei) sobre literatura norte-americana no ano que vem. Começará em fevereiro e será aqui na minha empresa. Quem topa??

Falem o que querem e a gente se organiza!!! Mandem mensagem pro meu e-mail normal (aquele nomecompleto@terra.com.br ou o da BK)......ou a gente se fala por msn.

Já já volto com mais poesia.

domingo, 6 de dezembro de 2009

Vinícius



Como eu só escrevi 5 posts sobre o Vinícius desde o começo do blog, minha gente?

Estou me redimindo:

Deixa acontecer (de Vinícius e Toquinho):

Ah, não tente explicar
Nem se desculpar
Nem tente entender
Se vem do coração
Não tem jeito, não
Deixe acontecer

O amor é essa força incontida
Desarruma a cama e a vida
Nos fere, maltrata e seduz
É feito uma estrela cadente
Que risca o caminho da gente
Nos enche de força e de luz

Vai debochar da dor
Sem nenhum pudor
Nem medo qualquer
Ah, sendo por amor
Seja como for
E o que Deus quiser

Bom domingo.....

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Obrigada e Caio

Obrigada amigos que aparecem aqui, lêem, pensam, se emocionam (ou odeiam), depois me falam que gostaram (ou não falam nada). O texto é bonito. Só isso.

"Ele me olhava triste. Eu não suportava seu olhar triste a lembrar-me das vezes todas que o tinha procurado inutilmente pelas ruas sem encontrá-lo. Agora que o encontrava já não o procurava. E um encontro sem procura era tão inútil quanto uma procura sem encontro. Detalhei meus movimentos para que não o atemorizassem. E novamente o olhei. Ah se conseguisse. Mas sempre será preciso o pão desta agonia."

Caio 3D: o essencial da década de 1970. página 225.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Tudo e dezembro

Dezembro: será que este ano acaba? Ainda dia 02. Ouvi tantas coisas boas hoje. Amém. Fiquei pensando em chegar em casa e escolher o poema pra colocar aqui. A gente podia viver de poesia. Hoje eu ouvi essa pergunta: "Onde está a poesia?". Amanhã é aniversário da Elaine que sabe muito bem dessas coisas.

Este poema do Leminski estava guardado num caderninho meu de tempos atrás. Voltei a encontrá-lo no Caprichos & Relaxos:

"objeto
do meu mais desesperado desejo
não seja aquilo
por quem ardo e não vejo

seja a estrela que me beija
oriente que me reja
azul amor beleza

faça qualquer coisa
mas pelo amor de deus
ou de nós dois
seja"

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

David Crystal



Acho que já falei do David Crystal num passado remoto. Ele é um dos maiores linguistas atuais e talvez um dos maiores conhecedores da Língua Inglesa. Bom.... o livro chegou na semana passada com a caravana dos que vieram de NYC. E é esse bonitinho aí..

Ele responde uma pergunta que a gente tem que responder 500 vezes por aluno.

"Getting a grasp of the basic grammar of a language, and learning to pronounce the sounds accurately, need not take too long. But vocabulary is the Everest of language. Memorizing the tens of thousands of words you need in order to hold you own in long conversations on variegated topics takes time, lots of it".

Tem que estudar forever minha gente.

sábado, 28 de novembro de 2009

Caprichos & Relaxos


Acredito que o livro esteja esgotado há tempos. Comprei de um sebo. Não foi barato, mas precisava ter. Nem tão caro assim. Preciso ler todos os poemas dele. E cada vez que descubro algo novo.. nem sei....

nada tão comum
que não possa chamá-lo
meu

nada tão meu
que não possa dizê-lo
nosso

nada tão mole
que não possa dizê-lo
osso

nada tão duro
que não possa dizer
posso

Posso. Amanhã começa meu inferno astral.

Caprichos & relaxos, página 21.

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Sexta

Se este ano acontecer mais alguma grande emoção não sei mais o que fazer. Juro. Nossa que coisa.

Hoje é sexta e a semana, o mês, o ano ainda estão looooonge de terminar.... tantas coisas ainda para acontecer.

Primeira parte de Belo belo de Manuel Bandeira:

Belo belo belo,
Tenho tudo quanto quero

Tenho o fogo das constelações extintas há milênios.
E o risco brevíssimo - que foi? passou - de tantas estrelas cadentes.

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Chegou

Chegou a caixa de livrinhos que mandei dos EUA para mim mesma (foi pro endereço do meu pai, mas não vem ao caso). Lálálálálá. Então aí vai um poema do Langston Hughes (que eu já tinha começado a ler mas mandei junto):

"Kid in the Park

Lonely little question mark
on a bench in the park:

See the people passing by?
See the airplanes in the sky?
See the birds
flying home
before
dark?

Home´s just around
the corner
there-
but not really
anywhere."

Selecionei uma foto linda pra colocar só que tá dando pau.. coisa linda.. desisti. Fiquemos com o poema.

domingo, 22 de novembro de 2009

Here comes the sun little darling



It´s been a long cold and lonely winter little darling
It seems like years since you´ve been here little darling

The smiles have returned to the faces little darling

Here comes the sun little darling.


Nina Simone colocou só mais alguns "little darling" na música (talvez a minha favorita dos Beatles junto com "In My Life" ou "I am the Walrus"?????). A versão que tenho dela é linda demais. No Youtube tem uma de um show de 1988. Nunca ouviram Nina Simone?? Ai não.

Foto daqui: http://www.lastfm.com.br/music/Nina+Simone/+images/209788

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Humor oscilante de Whitman

Caderno de Walt Whitman. Trecho em prosa chamado "Depression", escrito provavelmente no meio dos anos 1850:

"Tudo o que fiz me parece vazio e suspeito - Tenho dúvida se os meus maiores pensamentos, como eu os considerava, não são na verdade levianos - e as pessoas provavelmente rir-se-ão de - mim - Meu orgulho é importante; meu amor não recebe resposta - A complacência da natureza é odiosa - Estou cheio de inquietações - Estou incompleto".

De: Walt Whitman - a formação do poeta - páginas 188/189 - autor: Paul Zweig.

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Mais



O povo deve entrar aqui e pensar "pelo amor de Deus a mesma coisa de sempre muda o disco criatura". Mas não dá. Ou não tenho repertório para mudar tanto.

"O QUE QUER DIZER

O que quer dizer, diz.
Não fica fazendo
o que, um dia, eu sempre fiz.
Não fica só querendo, querendo,
coisa que eu nunca quis.
O que quer dizer, diz.
Só se dizendo num outro
o que, um dia, se disse,
um dia, vai ser feliz"

É o meu conselho: "o que quer dizer, diz" SEMPRE. Não enrola.

Tá na página 36.

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Voltando ao Caio



Estão com paciência, crianças? Este é só o primeiro parágrafo da crônica de Caio F. "Extremos da Paixão" que foi publicada no jornal O estado de São Paulo em 08/07/1986. Leiam, please:

"Andei pensando coisas. O que é raro, dirão os irônicos. Ou "o que foi?" - perguntariam os complacentes. Para estes últimos, quem sabe, escrevo. E repito: andei pensando sobre o amor, essa palavra sagrada. O que mais me deteve, do que pensei, era assim: a perda do amor é igual à perda da morte. Só que dói mais. Quando morre alguém que você ama, você se dói inteiro(a) - mas a morte é inevitável, e portanto normal. Quando você perde alguém que você ama, e esse amor - essa pessoa - continua vivo(a), há então uma morte anormal. O NUNCA MAIS de não ter quem se ama torna-se tão irremediável quanto não ter NUNCA MAIS quem morreu. E dói mais fundo - porque se poderia ter, já que está vivo(a). Mas não se tem, nem se terá, quando o fim do amor é: NEVER."

Pra você(s).

sábado, 14 de novembro de 2009

Frase

Acabei de ler num livro do Cortella (não precisa explicar, né) uma frase que ele diz "gostar muito". Eu também gostei (por mais batida que seja):

"A diferença entre a genialidade e a estupidez é que a genialidade tem um limite"

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Haicai


de Waldomiro Siqueira Jr.:

ÍNTIMO

Ir e voltar, a esmo.
Estradas abandonadas
dentro de mim mesmo.


Coloquei uma foto que eu mesma tirei. Janeiro de 2008. Não tem necessariamente conexão com o poema, mas pode ter.

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Alice Ruiz - Prêmio Jabuti de poesia

"tem palavra
que não é de dizer
nem por bem
nem por mal
tem palavra
que não é de comer
que não dá pra viver
com ela
tem palavra
que não se conta
nem prum animal
tem palavra
louca pra ser dita
feia bonita
e não se fala
tem palavra
pra quem não diz
pra quem não cala
pra quem tem palavra
tem palavra
que a gente tem
na hora H
falta"

página 193 - Dois em Um

Impressionante, às vezes a gente tem palavra até demais, às vezes falta mesmo. Não é? Ou eu é que viajo?

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Ana C.



"Tenho arrumado os livros
Tiro de uma prateleira sem ordem e coloco em outra
com ordem. Ficam espaços vazios.
Hora em hora.
Não tenho te dito nada.
Ligo para os outros
O que eu poderia dizer é perigoso: certeza (assim como
eu disse: daqui dez anos estarei de volta) de que nos
reencontramos, cedo ou tarde.
Mas não sei mais quando

Cedo ou tarde reencontro - o ponto
de partida"

Inéditos e Dispersos, página 196.

Achei tão lindo isso agora. E sei lá, combinou com alguma coisa.

domingo, 8 de novembro de 2009

Frase

Todo mundo já deve ter ouvido essa frase. Todo mundo menos eu. Vi num blog essa semana e tentei procurar de quem era. Parece (internet não pode dar certeza absoluta, néam?) que é da Gloria Steinem, feminista america, etc...

Pode ser bobinha, mas eu gostei:

"Whatever you want to do, do it now. For life is time, and time is all there is".

Mais ou menos assim:
"Qualquer coisa que você queira fazer, faça agora. Porque a vida é tempo, e tempo é a única coisa que há"

sábado, 7 de novembro de 2009

Leminski e Haicai

abrindo um antigo caderno
foi que descobri
antigamente eu era eterno

Bom sábado queridos.

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Contra-capa da Alma Imoral

O livro está comigo, ainda não comecei. Ou melhor, comecei há um tempo, li duas páginas, não lembro de nada, vi a peça e peguei de novo agora pra recomeçar. E a contra-capa:

"Há um olhar que sabe discernir o certo
do errado e o errado do certo.
Há um olhar que enxerga quando a obediência
significa desrespeito e a desobediência
representa respeito.
Há um olhar que reconhece os curtos caminhos
longos e os longos caminhos curtos.
Há um olhar que desnuda, que não hesita
em afirmar que existem fidelidades perversas
e traições de grande lealdade.
Este olhar é o da alma".

Nilton Bonder. Uhu.

domingo, 1 de novembro de 2009

Boa companhia - Haicai




Gostei de ler um monte de haicais... gostei mesmo.. acho que nunca tinha lido tantos ou não sabia que havia tantos autores brasileiros interessantes que escreveram haicais.


Estes dois abaixo são de Lêdo Ivo:

DIA A DIA

Noite? manhã? tarde?
O meu dia é eterno
sem nenhum alarde


ESCONDERIJO

A palavra-chave
sempre se esconde
atrás da porta

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Rossetti - a irmã



Comprei o livro segunda-feira. É dessa coleção fofíssima que todo mundo precisa ter todos: "everyman´s library pocket poets". Lindo. Da irmã do Dante: Christina Rossetti.

Escolhi este hoje:

"PASSING

Passing away the bliss,
The anguish passing away:
Thus it is
Today.

Clean past away the sorrow,
The pleasure brought back to stay:
Thus and this
Tomorrow."

Obs - depois de 08 anos sofrendo, a coisa toda rolou para mim e para mais 100 pessoas que aguardávamos já sem muita esperança. Loucura total. Quem quiser dou mais detalhes por e-mail (obrigada pelos fofos que escreveram.....).

domingo, 25 de outubro de 2009

Dante Gabriel Rossetti - de novo



No ano passado descobri Dante Rossetti. Qual foi minha surpresa quando vi um dos seus quadros no museu que visitei na viagem. Maravilhoso. Não sabia que ele era pintor também (e ilustrador, e designer....). Aliás, lendo agora aprendi que era uma das "maiores forças criativas" da Inglaterra do século XIX. Ignorância total.

Mas o mais legal é o site com todo o material dele documentado - IMPRESSIONANTE:

http://www.rossettiarchive.org/

sábado, 24 de outubro de 2009

Mais Leminski

Hoje posso. Mais Leminski:

TAKE P/BERE

"foi tudo muito súbito
tudo muito susto
tudo assim como a resposta
fica quando chega a pergunta

esse isso meio assunto
que é quando a gente está longe
e continua junto"

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Cheguei

Acabei Juliet Naked. Achei que ia amar - não consigo saber ainda se gostei ou não, mas estou mais pro não. Dá pra acreditar? Gostei das primeiras 30 páginas e das últimas 2. Sei lá, não achei tão engraçadinho e absolutamente previsível. N. Hornby, where are you?

Aí Whitman, Hughes e tanta coisa. NY. Voltei ao ritmo normal.

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Poets to come


Whitman homenageia os poetas que viriam depois dele.
Escrito assim:

POETS to come! orators, singers, musicians to come!
Not to-day is to justify me, and answer what I am for;
But you, a new brood, native, athletic, continental, greater than before known,
Arouse! Arouse—for you must justify me.


Foto minha.

sábado, 17 de outubro de 2009

Ele nasceu aqui


Walt Whitman Birthplace. Olha ele lá no fundo. O Captain! My Captain!

A foto é minha.

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Don´t stop believin'



Façam o seguinte: comprem a passagem para New York (parcelada, tá barato) agora e o ingresso para o show acima. Vale. Vale cada piada e cada roupa e cada música - todas dos anos 80. Isso é para você mesmo.

"Just a city boy, born and raised in south detroit
He took the midnight train goin' anywhere"

Tudo bem que pode soar piegas, mas hoje I can.

fonte da foto: http://www.artmeetscommerce.net/gallery/home/AMC_39.jpg

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Dia dos professores

Queridos,

Feliz dia dos professores para nós.

Ia colocar uma foto de um professor, desisti - só foto besta. Aí ia colocar foto de onde estou - aí achei demais.

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Langston Hughes



Comprei o livro ontem. Nunca vi nenhum livro do Langston Hughes em São Paulo. Why? Precisa explicar? No.

da página 136:

"Final Curve

When you turn the corner
And you run into yourself
Then you know that you have turned
All the corners that are left"

O MÁXIMO.

domingo, 11 de outubro de 2009

Paciência



Caros 06 leitores,

Esperem por mim e não me abandonem, tá? Só estou mais lentinha porque estou viajando.....

Comecei a ler Juliet, Naked ontem. Nick Hornby FOREVER.

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Diretamente daqui

"Come and show me another city with lifted head singing so proud to be alive and coarse and strong and cunning"

Trecho do poema de Carl Sandburg

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Prêmio Jabuti

O livro que a gente ama da Alice Ruiz ganhou o Prêmio Jabuti na categoria poesia. Peguei o livro de novo. Escolhi mais uns 20 pra colocar aqui, além das páginas marcadas, mas vamos aos poucos.

"quero fazer um verso
com todos os elementos
meus encantos
meus lamentos
que atravesse
ares e mares
e te alcance
e te arranque
de todos os pensamentos"

domingo, 4 de outubro de 2009

Bethânia



Fui em todos os shows, choro, tenho todos os cds, acabei de comprar os últimos dois lançados essa semana. Esta música acabei de ouvir no carro. E é:

"DOMINGO

Veja meu bem
Que hoje é domingo
Domingo eu não choro
Domingo eu não sofro
Domingo eu sou de paz e alegria
Tristeza hoje eu não estou
Saudade volte outro dia
Domingo eu não sou boa companhia

Se o amor quer me deixar
Que deixe num domingo
Eu não vou reclamar
E posso até achar
Que ficar só é lindo

Domingo a minha vida é o circo
Eu sou a trapezista
Alguém avise a dor,
Que não insista"

Letra de Roque Ferreira.

Tem que ouvir com ela. Sem comentários.

Foto daqui: http://napontadosdedos.files.wordpress.com/2009/01/bethania.jpg

sábado, 3 de outubro de 2009

Continuando

Continuando com Leminski:

"nunca sei ao certo
se sou um menino de dúvidas
ou um homem de fé

certezas o vento leva
só dúvidas continuam de pé"

Alguém sabe ao certo por algum acaso?

E que o domingo seja muito feliz.

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Ocupação Paulo Leminski



Aí hoje foi o dia da homologação e da Ocupação Paulo Leminski e do primeiro dia bonito de outubro e de sol e de sei lá. Queria ficar lá no Itaú Cultural mais um tempo, mas volto. Nó na garganta.

Acho que já li o poema abaixo algumas vezes. Passou batido. Hoje peguei o livro e parei nele porque alguém me falou exatamente disso pouquíssimos dias atrás.


"HIERÓGLIFO

Todas as coisas estão aí
para nos iluminar.
Discípulo pronto,
o mestre aparece,
imediatamente,
sob a forma de bicho,
sob a sombra de hino,
sob o vulgo de gente
como num livro, devagar.

Mestre presente,
a gente costuma hesitar,
nem se sabe se o bicho sente
o que sente a gente
quando pára de pensar"

O ex-estranho - página 41. Ed. Iluminuras. Minha edição é a de 2008.

Só lembrando: tudo está aí para nos iluminar. Acho que o discípulo está ficando pronto.

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

A alma imoral




Alguns amigos me falaram pra assistir a peça - desde que ela estava no RJ. Nunca tinha rolado: tempo, aula, sei lá, preguiça, agora tá em São Paulo???, ainda vou, será?, etc...

Fui. Não posso falar quais foram as minhas reações durante o espetáculo e agora, aqui sozinha, escrevendo. Só conto ao vivo e/ou por e-mail. Tantos amigos que precisam também ver.

A foto é do site oficial - www.almaimoral.com. Acho que todo mundo deve saber que o livro é do Nilton Bonder. Ainda bem que não li o livro antes.

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Hilda Hilst e diversos

Nunca li direito Hilda Hilst. Sou lenta mesmo - MESMO. Tenho vários exemplos na vida de como as coisas caem na minha cabeça e eu percebo dias, meses, anos depois. Mas tudo bem, antes tarde do que nunca - cliche dos cliches (tem acento?). Li uma coisa linda dela no livro do Caio e depois fui pro site oficial (www.hildahilst.com.br) e I´m just loving it. Foi isso:


"Te amo como as begônias tarântulas amam seus congêneres; como as sementes se amam enroscadas lentas algumas muito verdes outras escuras; a cruz na testa lerdas prenhes; dessa agudez que me rodeia, te amo ainda que isso te fulmine ou que um soco na minha cara me faça menos osso e mais verdade."


Obs 1 - Todo mundo já viu que no dia primeiro de outubro começa a exposição do Leminski no Itau Cultural? Chama ocupação Paulo Leminski e vai até novembro. Eu vou provavelmente no 1 mesmo. No máximo dia 2. Quem sabe a gente se encontra?

Obs 2 - vamos lá também crianças: http://acorda.eu/ ... que é um dos nossos.

domingo, 27 de setembro de 2009

Hoje é dia de pensar




"May every sunrise hold more promise, every moonrise hold more peace."

Anônimo.

É isso.

Foto daqui: http://i.telegraph.co.uk/telegraph/multimedia/archive/01380/new-york-manhattan_1380838c.jpg

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Voltando com Whitman



Fui ver que a última vez que falei de Whitman foi em 03/08... quase dois meses. Quanto tempo sem, né?

Só uma frase:

"I am a free companion....I bivouac by invading watchfires".

E na tradução de Rodrigo Garcia Lopes:

"Sou um camarada livre....acampo junto às fogueiras invasoras".

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Caio F.





Todo livro meu tem assinatura, mês e ano de compra. E escrito a lápis, os números de página para eu voltar depois. Este é de maio de 2005. Tentei lembrar por qual razão comprei, ou onde, ou das três páginas marcadas. Não lembrei nada, nada. Mas este poema estava:




ALENTO

Quando mais nada houver,
eu me erguerei cantando,
saudando a vida
com meu corpo de cavalo jovem.

E numa louca corrida
entregarei meu ser ao ser do Tempo
e a minha voz à doce voz do vento,

Despojado do que já não há
solto no vazio do que ainda não veio,
minha boca cantará
cantos de alívio pelo que se foi,
cantos de espera pelo que há de vir.

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Alice Ruiz de novo

Alívio. Dia ótimo. Corre. Evento. Corrige. Prepara Aula. Fala. Family. Entrevista. Fala. Digita. Amigos. Dá risada. Mais risada. Evento. Lê. Corrige. Escreve. Planos. Aula de dança no prédio na frente - o professor fala: "um, dois, tcha, tcha, tcha". Hihihi.

E Alice Ruiz diz:

"de hoje pra ontem
passos antepassados
me orientam"

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Hoje



Hoje pedi demissão de um trabalho de quase 8 anos. Deu. Detalhes sórdidos só ao vivo.

E para a comemoração:

FELIZ COINCIDÊNCIA de Paulo Leminski

qualquer coincidência
é mera semelhança
enquanto o quixote pensa
sancho coça a sancha pança

todas as coisas sejam iguais
que o vermelho seja verde
o azul seja amarelo
o sempre seja nunca mais


E a imagem vem daqui: http://www.tarotexperts.com/images/world.gif

Obs - e a minha "relação" com o tarot também é outra coisa que um dia a gente esclarece.

sábado, 19 de setembro de 2009

Changes



Andy Warhol disse:

"They always say time changes things, but you actually have to change them yourself".


Para as pessoas que lêem este blog com interesses escusos: tremei.

Façam a "tradução" por conta própria.


Fonte da imagem: http://www.mystery-games.com/images/tarot-tower.gif

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Emily Dickinson



Aí aconteceram várias coisas essas semanas. Muito legal. Lálálálálálá......

Poema de Emily Dickinson super adequado para a ocasião: There is another sky.

There is another sky,
Ever serene and fair,
And there is another sunshine,
Though it be darkness there;
Never mind faded forests, Austin,
Never mind silent fields -
Here is a little forest,
Whose leaf is ever green;
Here is a brighter garden,
Where not a frost has been;
In its unfading flowers
I hear the bright bee hum:
Prithee, my brother,
Into my garden come!

domingo, 13 de setembro de 2009

Domingo

Escrevi, apaguei. Escrevi, apaguei. Algumas vezes. Fora as que aconteceram só na minha cabeça. Comprei o "Deaf Sentence" do David Lodge. Já falei dele, adoro o humor acadêmico. Por que será, não????

Olho pros livros ao meu redor aqui em casa. Estou procurando um para fazer uma pesquisa que me convidaram. Acho que justo o tal emprestei para um amigo e não está aqui. Engraçado é que não costumo emprestar assim. Ou melhor, raras as vezes que alguém me pede, pensando bem. Então sei lá.


"houve um poema
que guiava a própria ambulância
e dizia: não lembro
de nenhum céu que me console,
nenhum
e saía,
sirenes baixas,
recolhendo os restos das conversas,
das senhoras,
'para que nada se perca
ou se esqueça',
proverbial,
mesmo se ferido,
houve um poema
ambulante,
cruz vermelha
sonâmbula
que escapou-se
e foi-se inesquecível,
irremediável,
ralo abaixo".

página 126 de "Inéditos e Dispersos" - Ana Cristina César.

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Leminski



Comprei este livro na semana passada pela Estante Virtual. Chegou ontem do sebo. Não tinha
este do Leminski. A gente fica tããããão feliz quando chega livro pelo correio, né? Não só livro, é claro. Gosto quando chegam coisas bonitas também. Mas este blog não é pra falar das minhas futilidades, please.

Sei lá

vai pela sombra, firme,
o desejo desespero de voltar
antes mesmo de ir-me
antes de cometer o crime,
me transformar em outro
ou em outro transformar-me
quem sabe obra de arte,
talvez, sei lá, falso alarme,
grito caindo do poço,
neste pouco poço nada vejo nem ouço,
mais mais mais
cada vez menos

poder isso, sinto, é tudo que posso,
o tão pouco tudo que podemos

Página 25.

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Mark Twain




Hoje o dia foi meio estranho pra todos. Pelo menos acho eu. Ia detalhar um pouco mais mas não quero. Tudo deu certo no final das contas. E Mark Twain disse isso:

"A etiqueta exige que admiremos a raça humana".

Se a etiqueta não mandasse tanto na gente: segura.


Quem ainda não leu "Dicas úteis para uma vida fútil - um manual para a maldita raça humana" entre no site: estantevirtual.com e faça a compra agora pois ........ depois vem aqui contar o que achou.

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Boa semana


O peixe do Gaturro chama Emílio. Cartoon fofíssimo. Do site oficial: http://www.gaturro.com/site/contenido/00home/index.php.

Que a nossa semana seja bem engraçadinha também.


domingo, 6 de setembro de 2009

Chuva....

Domingo. 12.53 no relógio aqui do computador. Já li revista, já li jornal, já li parte do David Sedaris, já, já, já, e preguiça e queria fazer algo de útil. Tudo ao mesmo tempo. Já comecei a arrumar as coisas, já parei. Já comecei a preparar as aulas de terça, já parei. E acabei de saber que Nick Hornby lança novo livro ESTE MÊS - Juliet Naked. Quero ler agora. Mais um na lista dos 10 que estão aqui + Conde Nast Traveler + Revista da Oprah + Travel and Leisure + Vanity Fair com artigo inédito do Tom Wolfe + Nilton Bonder recomendado pela S. + Entertainment Weekly com todos do Seinfeld na capa que a gente ama. Amo ter tudo isso de "tarefa".Ufa cansei.


Aí peguei um poema da Alice Ruiz agora e nunca tinha reparado e está aí:

"vai chorar
canta
vai falar
grita
vai andar
dança"

Estou aqui. Não sei porque escrevi isso, mas me deu vontade. Então de novo: estou aqui.

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Sexta, chuva e etc...



Por mais que eu veja só chuva na janela, acordei bem porque sei lá mil coisas. E Caio escreveu o seguinte:

"Nunca pertenci àquele tipo histérico de escritor que rasga e joga fora. Ao contrário, guardo sempre as várias versões de um texto, da frase rabiscada em guardanapo de bar à empressão no computador. Será falta de rigor? Pouco me importa".

Do livro "Para sempre teu, Caio F" (página 185).

Leiam algo interessante neste feriado e depois venham aqui me contar, please. Ok, 6 pessoas queridas?

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Hoje




Não tenho nada para escrever, só quero que o final da tarde e a noite de hoje sejam só de momentos bons. E coloquei essa imagem (daqui: http://www.discoverlavender.com/Lavender-Farm-5.jpg) de lavanda porque sim.

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Hoje é setembro

E eu comprei mais 4 livros na Livraria Cultura na sexta passada. Fiz o de sempre: selecionei uns 8 que queria (quero) e levei só 4. Alguns de poemas sentei e li, outros que vão ficar mais baratos dentro em breve, deixei lá. E percebi que alguns livros de capa dura, importados, que custavam 80, 90, agora estão 50, 60 - tops. A espera vale às vezes. Comprei um antigo do David Sedaris, um de mulherzinha para relaxar, um sobre o inglês em si e outro sobre a biografia de um dos juízes do episódio das bruxas de Salem (todo mundo sabe o que é isso, né? ótimo).

E para o começo do mês de setembro: ele. Sempre. Embora eu não goste de "if", este vale:

"believe it or not
this very if
is everything you got"

P. Leminski

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Fim de agosto e Drummond

Não posso reclamar do mês de agosto. Todo mundo diz que sempre é complicado. Pra mim já foi em anos passados, agora não é mais. Coração alhures, como diria Ana C. Vamos acabar este mês com Drummond? E setembro será mais lindo ainda.


MÃOS DADAS
- Drummond

Não serei o poeta de um mundo caduco.
Também não cantarei o mundo futuro.
Estou preso à vida e olho meus companheiros.
Estão taciturnos mas nutrem grandes esperanças.
Entre eles, considero a enorme realidade.
O presente é tão grande, não nos afastemos.
Não nos afastemos muito, vamos de mãos dadas.

Não serei o cantor de uma mulher, de uma história,
não direi os suspiros ao anoitecer, a paisagem vista da
[ janela,
não distribuirei entorpecentes ou cartas de suicida,
não fugirei para as ilhas nem serei raptado por serafins.
O tempo é a minha matéria, o tempo presente, os
[ homens presentes,
a vida presente.

obs - Tirei deste site aqui: http://www.algumapoesia.com.br/drummond/drummond21.htm

sábado, 29 de agosto de 2009

A mercy




O livro chegou da Amazon em maio. Li uma página e fui passando pra outros e outros. Não sei exatamente a razão, mas tudo bem. Aí essa semana peguei de novo com fé. Isso porque ler Toni Morrison não é algo fácil, assuntos também complexos e atenção redobrada. E este trecho está na página 38:

"Night comes and I steal a candle. I carry an ember in a pot to light it. To see more of you. When it is lit I shield the flame with my hand. I watch you sleeping. I watch too long. Am careless. The flame burns my palm. I think if you wake and see me seeing you I will die. I run away not knowing then you are seeing me seeing you. And when at last our eyes hit I am not dead. For the first time I am live."

Lindo.

O livro foi traduzido e já vi nas livrarias da vida. É "Compaixão" da Cia das Letras.

terça-feira, 25 de agosto de 2009

Terça



Nada não. Sei lá de novo. Selecionando uma música do Queen pra aula de hoje e quase começo a chorar na frente do computador. Retardada. Só queria compartilhar.

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Acabei "The Help"

Acabei ontem mesmo. E na parte final a autora Kathryn Stockett fala da vida dela mesmo no Mississippi. E como ela também passou por tudo isso embora o romance seja ficção mesmo. Ela diz que preferiu escrever o livro em New York porque a distância dá mais perspectiva. Depois a autora usa as palavras do escritor Howell Raine (que eu não conhecia) sobre o que é ser do sul dos Estados Unidos e ser também escritor. E é isso:

"There is no trickier subject for a writer from the South than that of affection between a black person and a white one in the unequal world of segregation. For the dishonesty upon which a society is founded makes every emotion suspect, makes it impossible to know whether what flowed between two people was honest feeling or pity or pragmatism".

Ainda bem que não consigo nem entender esses sentimentos em relação ao assunto. Só sentimento de "como pode acontecer isso"??????

domingo, 23 de agosto de 2009

Domingo e "The Help"



Acho que em algumas horas acabo de ler o livro acima. Comecei na quinta e não consigo parar. FANTÁSTICO.

Calcula o Mississippi no começo da década de 1960. É isso. De doer. De chorar. De não acreditar que foi tudo tão recente.

Quem lê inglês vai lá na Livraria Cultura comprar fazendo o favor.

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Sexta

Só volto domingo. Aí deixo um Leminski:

"quem me dera
até para a flor no vaso
um dia chega a primavera".

De "la vie en close".

terça-feira, 18 de agosto de 2009

Vinícius



Aí já falei quanto adoro Vinícius. Já falei que choro. Que tenho sei-lá-vai-entender-um-dia-quem-sabe-que-me-dá-um-negócio-tipo-nó-no-peito-choro-ou-não-consigo-entender.

Do Livro de Letras da Companhia das Letras (a minha edição é de 1999). Diretamente da página 237 (De "Vinícius consigo mesmo"): Tomara

"Tomara
Que você volte depressa
Que você não se despeça
Nunca mais do meu carinho
E chore, se arrependa
E pense muito
Que é melhor se sofrer junto
Que viver feliz sozinho

Tomara
Que a tristeza te convença
Que a saudade não compensa
E que a ausência não dá paz

E o verdadeiro amor de quem se
ama
Tece a mesma antiga trama
Que não se desfaz
E a coisa mais divina
Que há no mundo
É viver cada segundo
Como nunca mais"

Ai gente.

Obs - adorei as mensagens do post anterior. Adorei as colocações de "alhures". Preciso ter criatividade só pra colocar "alhures" numa frase. Aliás tenho criatividade. Acho que só falta verbalizar.

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

6 leitores

Queridos 6 leitores,

Voltei. Nada de criatividade. Sei lá. Mas aí pego meus livrinhos e me animo. E vejo que só falo dos mesmos autores. Mas o blog é meu, né? Então tá excelente.

"Para que você faz das cartas telegramas - você pensa que as
palavras custam caro?
Como foi que eu comecei da última vez?
Ele chegou que nem uma ferinha.
A fera presa e previsível na
Escadaria.
Meu coração alhures.
Acalmo a ferinha? Deixo passar? Valeu a importância gasta?
Apenas esquentando.
A fera dá preguiça, coração alhures."

Ana C. César. De "Inéditos e Dispersos".

Obs - só eu tive que procurar no dicionário o que é "alhures"? Tá bom então. Quer dizer: em outro lugar.

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Inspiração

Não é nada não. Já entrei aqui algumas vezes e nada ou nenhum texto me inspiram para postar. Sei que são só esses dias. Nada aconteceu, acho que só preguiça mesmo. Talvez a inspiração volte em segundos ou dias: aí volto também.

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Domingo e Leminski



Ontem fiquei relendo coisas à noite. Teve uma época que o final de domingo era cruel (pra maioria das pessoas ainda é, né??). Para mim não é mais. É bem legal inclusive. Lálálá. Por que estou dizendo isso? Não sei. Selecionei alguns "Leminskis" para colocar aqui.


ESTUPOR

"esse súbito não ter
esse estúpido querer
que me leva a duvidar
quando eu devia crer

esse sentir-se cair
quando não existe lugar
aonde se possa ir

esse pegar ou largar
essa poesia vulgar
que não me deixa mentir"


À vezes me acho limitada em relação à poesia. Queria conhecer mais, comprar mais, ler mais. Alguém podia me dar dicas interessantes?? Só pra gente conhecer e se encantar com outros.

Obs - a foto é daqui: http://portal.rpc.com.br/midia/tn_280_651_paulo_leminski.jpg

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Sobre amizade




Caio F. disse (página 75):

"Para mim, companheirismo e lealdade são meio sinônimos de felicidade. Meus amigos são muito fortes e profundos, são amigos de fé e para quem eu posso telefonar às cinco da manhã e dizer. Olha: eu estou querendo me matar, o que eu faço? Eles me dão liberdade para isso e vice-versa, não tenho relações rasas, quer dizer, tenho, porque todo mundo tem, mas sempre procuro aprofundar. E isso é felicidade, você poder contar com os outros e se sentir cuidado, protegido. Dei esse exemplo meio barra-pesada de me matar..... Esquece, também posso ligar para ver o sol nascer no Ibirapuera às cinco da manhã. Já fiz isso, inclusive".

Eu ia dizer que só queria meus amigos profundos. Mas é mentira. Todo mundo tem os amigos rasos, como disse Caio. Acho que a gente precisa também.

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Ana C. César


Ana Cristina César diz na página 51 que "certas melancolias só a correspondência recupera", e na página 258 "anônima, não sou duas, apenas perco os sons que me definem".

E continuo achando este livro uma das coisas mais lindas que já vi.

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Número 200 e 1 ano depois


Queridos,


Resolvi escrever de novo hoje e fazer o post número 200 porque foi em 03 de agosto de 2008 que comecei este blog. 1 aninho atrás. E vamos em frente....assim espero.


E as últimas linhas de "Song of myself" falam o seguinte (na tradução de Rodrigo Garcia Lopes):



"Vai ser difícil você saber quem sou ou o que estou querendo dizer,

Mas mesmo assim vou dar saúde,
Vou filtrar e dar fibra a seu sangue.


Não me cruzando na primeira não desista,

Não me vendo num lugar procure um outro,
Em algum lugar eu paro e espero você"


obs - Foto de Whitman é da biblioteca do congresso americano - loc.gov

Drops 2

"I resist anything better than my own diversity,
And I breathe the air and leave plenty after me,
And I am not stuck up, and am in my place"


"Resisto a tudo menos minha própria diversidade,
Respiro o ar e deixo muito mais ar atrás de mim,
Não sou pretensioso, estou no meu lugar".



Parte do "Song of Myself".

sábado, 1 de agosto de 2009

Drops de Whitman




Ainda não chegamos no post 200, mas até lá vamos ter Whitman, assim ó:

Este trecho é parte do prefácio original do Folhas da Relva de 1855:

"Um grande poema continua por eras e eras em comum e por todos os graus e compleições e todos os departamentos e seitas e por uma mulher tanto quando para um homem e por um homem tanto quanto para uma mulher. Um grande poema não é o fim para o homem ou para a mulher e sim o seu começo. Alguém já imaginou que ele pudesse sentar-se finalmente sob alguma autoridade a que tem direito e descansar satisfeito com as explicações e perceber e sentir-se feliz e completo? O maior poeta não oferece tal meta...tampouco traz interrupção ou opulência e facilidades protegidas. Seu toque fala de ação. Quem ele arrebata é com um domínio firme e certeiro em regiões vivas antes inalcançáveis... daí em diante não há descanso..."

Obs - Traduzido do original por Rodrigo Garcia Lopes ( Iluminuras, 2005)

sexta-feira, 31 de julho de 2009

"Devia ser proibido"

Do livro "Poesia para tocar no rádio" de Alice Ruiz. O poema é também de Itamar Assumpção:

"devia ser proibido
uma saudade tão má
de uma pessoa tão boa
falar, gritar, reclamar
se a nossa voz não ecoa
dizer não vou mais voltar
sumir pelo mundo afora
alguém com tudo pra dar
tirar o seu corpo fora
devia ser proibido estar
do lado de cá
enquanto a lembrança voa
reviver, ter que lembrar
e calar por mais que doa
chorar, não mais respirar (ar)
dizer adeus, ir embora
você partir e ficar
pra outra vida, outra hora
devia ser proibido...
"

quinta-feira, 30 de julho de 2009

Poesia não tem razão de ser

Acredito que todo mundo já tenha visto este vídeo. Caso você não tenha visto, vá até:

http://www.youtube.com/watch?v=T-iCzSsOZy4&feature=related

É isso. Não precisa ter explicação. E não deve.

terça-feira, 28 de julho de 2009

Mais A. C. César



Do "Inéditos e Dispersos":

"Jururu não sei pedir. Fico enrodilhada. Faço pesca mas não
pesco nada.
A. me fala do aeroporto, de passagem. Matter of fact que eu
já conheço, sem desordem.
Sinto um grande cansaço pendurado no fio da minha voz.
Tremuras da desordem. Assuntos que não sei.
Mala diplomática apenas por um fio.
I can´t give you anything but love, babe.
Praga. É uma praga. Você só gosta das partes difíceis.
Hoje te cabe a parte fácil: se sentir alguma coisa pode me chamar."

É isso aí: se sentir alguma coisa pode me chamar.

Obs - a foto é do site: www.algumapoesia.com.br

segunda-feira, 27 de julho de 2009

The believers


Daquele listinha que falei em algum post do passado recente, acabei alguns livros e outros estão lá ainda. Neste meio tempo, estou lendo este acima. Nada não... só queria falar isso.

Outra coisa - já já estamos chegando no post 200. Para o "momento celebração" escolheremos Whitman ou alguém tem alguma outra idéia brilhante?

sexta-feira, 24 de julho de 2009

T. S. Eliot



Do "Old Possum´s book of practical cats". Nome do poema: "The song of jellicles". Aqui vai um pedacinho:

"Jellicle Cats have cheerful faces,
Jellicle Cats have bright big eyes;

They like to practice their airs and graces
And wait for the Jellicle Moon to rise"

Meu Jellicle Cat favorito: The Rum Tum Tugger. Só vendo pra entender.

Só queria acabar a sexta-feira com alguma coisa bonitinha.

quarta-feira, 22 de julho de 2009

Alice Ruiz again

De repente dá uma vontade de ficar lendo poemas de amor. Não sei se todo mundo tem isso. Eu tenho. Sei lá.

"vontade de ficar sozinha
só pra saber
se você ia
ou vinha
quando deixou
esse bagaço
no meu peito
pedaço estreito
defeito de mercadoria
do jeito que você queria"

terça-feira, 21 de julho de 2009

Toni Morrison

Continuando o post de dias atrás sobre a entrevista da Toni Morrison na revista da Oprah. Mais um trechinho:

"Everything I see or do, the weather and the water, buildings...everything actual is an advantage when I am writing. It is like a menu, or a giant tool box, and I can pick and choose what I want. When I am not writing, or more important, when I have nothing on my mind for a book, then I see chaos, confusion, disorder."

Assim:

"Tudo que eu vejo ou faço, o tempo e a água, prédios, tudo que é real é uma vantagem quando estou escrevendo. É como um menu, ou uma caixa gigante de ferramentas que eu posso pegar ou escolher o que eu quero. Quando eu não estou escrevendo, ou mais importante, quando eu não tenho nada na minha cabeça para um livro, aí eu vejo caos, confusão, desordem."

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Mais Ana Cristina César



Lá no Conjunto Nacional abriu uma Livraria Cultura/Instituto Moreira Salles. Os livros de poesia da Ana Cristina César estão lá por R$ 24,00. Comprei o "Inéditos e dispersos" já que tinha lido o do Marcos.

Este é "Estou atrás" escrito em 28 de maio de 1969.

"Estou atrás

do despojamento mais inteiro

da simplicidade mais erma

da palavra mais recém-nascida

do inteiro mais despojado
do ermo mais simples

do nascimento a mais da palavra"


Boa semana crianças fofas do meu coração que lêem este blog (que às vezes nem sei quem são mas não importa porque gosto) e me deixam feliz.

Obs - a capa do livro é do site do Instituto Moreira Salles. É exatamente esta edição que eles estão vendendo.