sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Sobre amizade




Caio F. disse (página 75):

"Para mim, companheirismo e lealdade são meio sinônimos de felicidade. Meus amigos são muito fortes e profundos, são amigos de fé e para quem eu posso telefonar às cinco da manhã e dizer. Olha: eu estou querendo me matar, o que eu faço? Eles me dão liberdade para isso e vice-versa, não tenho relações rasas, quer dizer, tenho, porque todo mundo tem, mas sempre procuro aprofundar. E isso é felicidade, você poder contar com os outros e se sentir cuidado, protegido. Dei esse exemplo meio barra-pesada de me matar..... Esquece, também posso ligar para ver o sol nascer no Ibirapuera às cinco da manhã. Já fiz isso, inclusive".

Eu ia dizer que só queria meus amigos profundos. Mas é mentira. Todo mundo tem os amigos rasos, como disse Caio. Acho que a gente precisa também.

4 comentários:

Mari Cuencas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mari Cuencas disse...

(eu que excluí o que tinha postado anteriormente...)

Per-fei-to!!! Adoro quando as pessoas dizem o que eu não consigo expressar.

Presente pra ti, minha amiga profunda! Beijos!

http://www.youtube.com/watch?v=P-7RppbowKo

Elaine Cuencas disse...

Minha amiga rasamente profunda!
Adoro como você lê...
Adoro o que você lê...
Me faz ler junto e amplia meu desejo de leitura!

sua amiga profundamente rasa...

Elaine

ps. manda um feliz dias dos pais ao Bernardo. Deve ser dificil e incríver ser filha dele!)

epborguetti disse...

Querida Andréa,
Até um oceano tem partes rasas e partes profundas...
Boa semana!
Eli