quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Alma Imoral - The End

Acabei "A Alma imoral" acho que na semana passada. Nilton Bonder diz que: "Transgredir é um processo, e o momento em que nos voltamos para outra direção marca um novo segmento de nossas histórias individuais e coletivas. O corpo e sua moral, por sua vez, percebem esse ato como uma 'desorientação'. No entanto transgredir é necessário." E diz ainda que um rabino advertiu que os pecados que um indivíduo comete não são o pior crime realizado por ele: "o verdadeiro grande crime do ser humano é que ele pode dar-se uma 'simples volta' a qualquer momento, mas não o faz".

5 comentários:

Veneranda Pedroza disse...

Em pleno 24 de Dezembro é ótimo saber que transgredir é necessário... é tudo o que tenho feito ultimamente mesmo com toda a sensação de desorientação que isso traz.
Por outro lado, transgredir também pode ser um descobrir-se. Pra mim, tem sido assim...
Bjs e um ótimo Natal pra você, pra sua família e para os 6 leitores do blog.

Andréa disse...

Querida Veneranda,
Acho que você entendeu perfeitamente o que o autor quer dizer com transgredir. E olha que nem sei se você leu o livro ou viu a peça.
Beijos

Anônimo disse...

Veneranda - Somos 7 leitores. Na verdade, eu não sei se a Dona Andréia usa minha visita como contagem por uma simples razão: eu não entendo o que ela escreve.

Andréa disse...

Anônimo - quem é vc?
A questão dos "6 leitores" é só uma brincadeira. Acredito que seja um número um pouco maior. E aqui não sou eu que escrevo nada - só Caio F. Abreu, Paulo Leminski, Nilton Bonder, Alice Ruiz, etc...

Andréa disse...

O anônimo é meu querido irmão, Marcio.