quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Millôr



Se

Se o mundo fosse de palha
Eu punha fogo no mar,
E se o mar fosse de beijos
Eu bebia até cansar,
Se a água fosse de ouro
Ninguém vivia no bar,
Se peixe crescesse em árvores
Seria fácil pescar,
Se pardal comesse abelha
Que estranho seria o ar,
Se os porcos fossem limpos
Que grande e belo luar,
Se barata desse leite
O leite ia baratear,
Se os homens ruminassem
Não viviam a se queixar,
Se as ruas caminhassem
Eu não saia do lugar,
Se 6 e 6 fossem 4
3 e 3 seriam um par
Se fossem lá todos juntos
Ninguém pegava lugar,
Se reflexo valesse
O céu era o fundo do mar,
E se os ratos fossem valentes
Os gatos iam se mancar.

17 de agosto de 1973.

Um comentário: