segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Saudades de W.W.




Quero começar a semana bem.


"Ouvi o que os falastrões falavam.... a fala do começo e do fim,
Mas não estou falando nem de fim nem de começo.

Nunca existiu mais princípio do que este agora,
Nem mais juventude nem velhice do que esta agora;
Nem vai existir mais perfeição do que já existe agora,
Nem mais céu ou inferno do que existe agora.

Gana, gana, gana,
Sempre a gana criativa do mundo.

Da obscuridade avançam opostos iguais.... Sempre substância e crescimento,
Sempre uma trama de identidade.... sempre diferença.... sempre uma espécie de vida.

De nada vale elaborar.... Tanto instruídos quanto iletrados sabem que é assim.

Certo como a certeza mais certa.... aprumado, bem trançado, firme nas vigas,
Forte como um cavalo, carinhoso, orgulhoso, elétrico,
Aqui estamos eu e este mistério."


Do posfácio de Rodrigo Garcia Lopes - Folhas de relva - Whitman.

2 comentários:

Elaine disse...

Um pouco de blá,blá,blá...

Eu adoraria envelhecer com um semblante assim...
respeitável
galhofeiro
tranquilo
curioso
apaziguado
inquieto
descansado
realizado
desejoso
sábio
assenhorado
inquisidor

um semblante que carrega uma história longa, saborosa - de sabores doces e amargos - um semblante de poeta, de plebéia, de rainha, de senhora e de menina...

bjs, Elaine

Andréa disse...

Você já é tudo isso flor. E vai ser mais ainda.
Beijo