quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Vinícius de Moraes (1913-1980)





Eu queria ter escrito sobre Vinícius há semanas, desde que comecei o blog mais precisamente. Mas não consegui. Algumas vezes não achava o trecho que eu iria colocar aqui, outras queria ter mais paciência para escrever o que ele merece.

A questão é que eu não consigo ver nenhuma entrevista dele, nem o filme, sem chorar. Não sei o que acontece. Quando fui ao cinema ver o filme sobre ele, comecei a chorar no início e só parei nos créditos. E quando passa na TV algum documentário, alguma entrevista, ele falando de sua obra, eu também fico dessa maneira. Então é isso. Vinícius para mim é mais emocionante do que uma série de coisas que deveriam ser. E o trecho abaixo está no seu "Livro de Letras":

Pode ir
Pode fazer o que melhor entender
Porque, amor, cada um sabe de si
mas se você quiser brincar com o nosso amor
Não vem, que alguém provavelmente
Vai amargurar a grande dor
De ver alguém também querer partir
Porque partir é repetir, meu bem
E se perder nesse mar por aí
Mas você quer brincar, quer fingir
Pode ir, pode ir e depois chorar


A foto é do site oficial: www.viniciusdemoraes.com.br e nesta ele está em Oxford (1960).

5 comentários:

Marcos disse...

Em um antigo LP (que bobagem, só poderia mesmo ser antigo)eu ouvia Vinícius de um Lado e Drummond do outro.
Por qualquer razão que hoje apenas desconfio, me debulhava em lágrimas ao ouvir o "Poema de Natal" Lembra?
"Para isso fomos feitos:
Para lembrar e ser lembrados
Para chorar e fazer chorar
Para enterrar os nossos mortos..."

Que bom que ainda possamos ser tocados por algo assim tão...

bjs

Elaine disse...

Que bom que temos amigos que nos tocam assim...Para isso fomos feitos!
bjs, Elaine

Elaine disse...

Ah! que foto!!!!

Andréa disse...

Ainda neste ano, quero ouvir mais histórias suas hein Marcos... a gente precisa combinar um café/happy hour ou qualquer coisa

Maca disse...

Obrigado por visitar meu blog...Favor colocar um link...Beijunda !

Marcio "Banheirosdomundo.blogspot.com"