quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Alma



"Quando o corpo está exposto à estreiteza, e quando está consciente de que seu desconforto provém dela, surge então a possibilidade de acampar em frente ao mar. A partir desse lugar de impropriedade e angústia, olhamos o horizonte. Chegar até ele não mais será um processo do corpo, mas da alma. Há uma entrega, um despojamento nessa margem, que não só desnuda o corpo mas também o modifica. Essa metamorfose nos assusta com a possibilidade de estarmos abrindo mão de nossa integridade e identidade."


Nilton Bonder. A alma Imoral. página 52.
Foto da atriz Clarice Niskier na peça.

3 comentários:

Mariana disse...

Perfeito!

Elaine Cuencas disse...

Pois é...
Quero um oceano largo
quero uma praia longa
quero uma alma grande
quero um lugar ao sol!

bjs,

Andréa disse...

Elaine,

Da próxima vez coloco seu poeminha na página do blog mesmo, não dos comentários.

bjs