quinta-feira, 21 de maio de 2015

Descobertas - Mia Couto

As amigas me indicaram este homem. E eu vou descobrindo pouco a pouco. E deixo aqui um trechinho:

"A família, a escola, os outros, todos elegem em nós uma centelha promissora, um território em que poderemos brilhar. Uns nasceram para cantar, outros para dançar, outros nasceram simplesmente para serem outros. Eu nasci para estar calado. Minha única vocação é o silêncio. Foi meu pai que me explicou: tenho inclinação para falar, um talento para apurar silêncios. Escrevo bem, silêncios, no plural. Sim, porque não há um único silêncio. E todo o silêncio é música em estado de gravidez.

Quando me viam, parado e recatado, no meu invisível recanto, eu não estava pasmado. Estava desempenhado, de alma e corpo ocupados: tecia os delicados fios que se fabrica a quietude. Eu era um afinador de silêncios."



3 comentários:

Fal, a Mal disse...

ele é demais, demais.

Elaine Cuencas disse...

Mia Couto pertence ao mundo dos silêncios... Manoel de Barros, Guimarães Rosa... gente que sabe calar como ninguém! Gente que inspira a solidão bonita.

Lindo né, Andréa! Agora vai... o Mia Couto... você vai amar cada vez mais!

Beijos, querida leitora!

Carolina Ventura disse...

Andrea, você escolheu um dos meus trechos favoritos! "Todo silêncio é música em estado de gravidez". "Eu era um afinador de silêncios". É demais de lindo. Boa leitura, querida!