terça-feira, 18 de novembro de 2008

Caio F.



Do conto "Iniciação" do livro "O ovo apunhalado".

"Foi numa dessas manhãs sem sol que percebi o quanto já estava dentro do que não suspeitava. E a tal ponto que tive a certeza súbita que não conseguiria mais sair. Não sabia até que ponto isso seria bom ou mau - mas de qualquer forma não conseguia definir o que se fez quando comecei a perceber as lembranças espatifadas pelo quarto. Não que houvesse fotografias ou qualquer coisa de muito concreto - certamente havia o concreto de algumas roupas, uma escova de dentes, alguns discos, um livro: miudezas se amontoavam pelos cantos. Mas o que marcava e pesava era o intangível.


O que conta, o que marca e o que pesa, é o que a gente não consegue encostar com a mão, não é mesmo?



Obs - a foto é do site www.clicrbs.com.br

7 comentários:

Anônimo disse...

Já lí isso em algum lugar...

Anônimo disse...

Plágio.

Andréa disse...

Caro anônimo,

Como pode ser plágio se eu coloquei a foto, o nome do autor (Caio Fernando Abreu) o nome do conto e onde ele foi publicado?

Vamos acreditar que isso é uma brincadeira, não é mesmo?

Anônimo disse...

Blogueira - Esse texto me parece de uma obra bastante conhecida.

Anônimo disse...

"Numa manhã, ao despertar de sonhos inquietantes, Gregório Samsa deu por si na cama transformado num gigantesco inseto. Estava deitado sobre o dorso, tão duro que parecia revestido de metal, e, ao levantar um pouco a cabeça, divisou o arredondado ventre castanho dividido em duros segmentos arqueados, sobre o qual a colcha dificilmente mantinha a posição e estava a ponto de escorregar. Comparadas com o resto do corpo, as inúmeras pernas, que eram miseravelmente finas, agitavam-se desesperadamente diante de seus olhos."

Andréa disse...

Olá anônimo,

Acredito que todos lemos "A metamorfose". E talvez Caio F. tenha lido e logo depois feito a crônica dele. Infelizmente ele não está mais aqui para nos tirar esta dúvida, não é mesmo?

E quem é você?

Elaine disse...

Oi, querida Andréa!
Recomende a todos os seus leitores o título " A angústia da Influência" de Harold Bloom. É sempre salutar para dirimir certas dúvidas de somenos.
[]s, Elaine