quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Freddie (1946-1991)



Em 18/09 eu escrevi sobre não-clássicos, e em 16/10 sobre Vinícius. Pois bem, este post não é sobre clássicos (é sobre música) e sobre o equivalente ao Vinícius no quesito musical: Freddie Mercury. Não consigo ver nenhum documentário sobre o Queen, sobre ele, sem chorar nos primeiros minutos, só consigo ver os shows. E este post é exatamente porque ontem vi o Queen aqui em SP (desnecessário explicar que é com o Paul Rodgers, aquela coisa toda).

Quando ele morreu eu estava na faculdade e foi meu pai que me avisou, tristíssimo, é claro. E de lá pra cá sempre ouço, vejo os dvds, etc....

Lembro de uma entrevista do George Michael (outro post será dedicado a ele em momento oportuno) quando eles organizaram o "Concert for Aids Awareness" depois que o Freddie morreu. E ele disse que adorava uma música do Queen chamada "Dear Friends" e foi por essa música que ele decidiu fazer o show.

Enfim, a música é essa:

"So dear friends, your love is gone
Only tears to dwell upon,
I dare not say as the wind must blow
So a love is lost, a love is won.
Go to sleep and dream again,
Soon your hopes will rise and then
From all this gloom
Life will start anew

And there will be no crying soon"


Vamos ver se eu consigo fazer uma versão:

"Então queridos amigos, seu amor se foi
Só lágrimas que estendem-se
Eu não ouso dizer como o vento devo soprar
Então um amor é perdido, um amor é ganho.
Vá dormir e sonhe de novo,
Logo suas esperanças vão voltar e aí
De toda essa tristeza a vida vai começar de novo
E logo não vai mais haver choro".



É só isso.

4 comentários:

Elaine disse...

Fiquei aqui pensando, pensando e não consegui decidir o que dizer a respeito deste Freddie...
Que ele é emocionante? Que a voz dele é monumental? Que é triste saber que ela já não pode cantar? Qualquer coisa é pouco...é nada...
Viva Freddie! Viva a músca e voz! Viva as homenagens, sempre imprescindíveis.

Elaine disse...

Nossa, desculpem os cochilos lingüísticos...acho que é sono...

Marcos disse...

Parece chavão dizer isto mas, naquele já longínquo 20 de março de 1981, no estádio do Morumbi, minha vida mudou um pouco. Era o primeiro show de rock que eu assistia em minha vida e é até hoje, centenas de shows depois, o que mais me impactou.Quem esteve lá, jamais esquece.

Andréa disse...

Marcos... não acredito que você nunca me contou!! O máximo!

Beijos