quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Mais Maya e hope


Sei lá, podem me chamar de qualquer coisa, mas estou super "cliché" (é assim que escreve??) mesmo - aquela coisa toda "numa onda de esperança". E como falei da Maya Angelou no post anterior, aqui vai a terceira estrofe do poema "Still I rise":

Just like moons and like suns,
With the certainty of tides,
Just like hopes springing high,
Still I'll rise.
Eu traduziria assim:

Assim como as luas e os sóis,
Com a certeza das marés,
Assim como as esperanças saltando alto,
Eu ainda me levanto.

3 comentários:

mary cuencas disse...

*voz de torcida*

POSTA INTEIRO!!! POSTA INTEIRO!!! POSTA INTEIRO!!! POSTA INTEIRO!!! POSTA INTEIRO!!! POSTA INTEIRO!!! POSTA INTEIRO!!! POSTA INTEIRO!!! POSTA INTEIRO!!! POSTA INTEIRO!!! POSTA INTEIRO!!! POSTA INTEIRO!!!

Elaine disse...

VÔO

Quando você acreditar
Que é livre e pode
Empreender o vôo da realidade
Procure não pensar
Nas correntes da consciência.
(José Carlos Limeira, 1978)

Maca disse...

Andréia -

Creio que o episódio mencionado deve ser relatado com maior importancia.

Trata-se de uma quebra de paradigma, um choque de gestão.

Poderia colocar algumas frases com maior significado histórico, tais como: Reverendo Jackson, Martin Luther King, Nelson Mandela (não confundir esse Mandela com os citados no meu blog) e até mesmo o Mussum.

Cacildis !!!!