quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Emily Dickinson e tradução



Fiz um curso nessa semana de tradução com o (ótimo) Paulo Henriques Britto. Hoje, a última aula, foi sobre tradução de poesia. Nada mais complicado na existência humana. Vimos este poema da Emily Dickinson que eu, sei lá porque cargas d´água, santa ignorância, não conhecia:

Finding is the first Act 
The second, loss,

Third, Expedition for

The "Golden Fleece"


Fourth, no Discovery --

Fifth, no Crew --

Finally, no Golden Fleece --
Jason -- sham -- too.


E a tradução de Paulo Henriques Britto

Primeiro Ato é achar,
Perder é o segundo Ato,
Terceiro, a Viagem em busca
Do “Velocino Dourado”

Quarto, não há Descoberta —

Quinta, nem Tripulação —
Por fim, não há Velocino —
Falso — também — Jasão.



Obs 1 - Ia fazer uma interpretação minha do poema, mas enfim, it is self-explanatory.

Obs 2 - Recebi pedidos do leitor M. e falarei (mais) sobre Edgar Allan Poe em breve.

4 comentários:

Mari Cuencas disse...

Nossa, transmissão de pensamento total. Estive falando na "Medea" do Pasolini essa semana, com a minha professora de canto.

Estou amando a Dickinson!!! Pode mandar mais!!!

P. S.: Vou te mandar uma fotinho "Poe-related" essa noite! Não poste nada antes de eu mandar, okay? =)

Beeeeeeeeijo!

Andréa disse...

vou esperar!!!
beijos darling.
Andréa

Elaine disse...

Que beleza de poema!
Lendo o original ( com boa vontade, apesar de pouco conhecimento) dá para perceber o belíssimo trabalho de tradução...principalmente nos dois versos finais...
E quantos siginificados tem este poema...belíssimo!
Obrigada, amiga!
[]s,Elaine

Andréa disse...

Elaine,
Você sabe ler o original sim! O poema é o máximo né?? E quanta coisa a gente não conhece....
bjs