sábado, 18 de abril de 2009

Bem no fundo



"no fundo, no fundo,

bem lá no fundo,
a gente gostaria
de ver nossos problemas
resolvidos por decreto

a partir desta data,
aquela mágoa sem remédio
é considerada nula
e sobre ela - silêncio perpétuo

extinto por lei todo o remorso,
maldito seja quem olhar pra trás,
lá pra trás não há nada,
e nada mais

mas problemas não se resolvem,
problemas têm família grande,
e aos domingos saem todos passear
o problema, sua senhora
e outros pequenos probleminhas"


Acho que este foi um dos primeiros poemas que li de Paulo Leminski. Não faço nem idéia quando foi. Mas já faz muito.

Um comentário:

Elaine disse...

Maldito poeta e malditas verdades das quais são se pode fugir!!!!