domingo, 19 de abril de 2009

David Lodge (1935- )







Acho que li a primeira vez um dos livros de David Lodge há alguns anos e lembro que, na época, gostei bastante. No mínimo é porque ele foi um escritor universitário durante anos e agora não leva mais o "mundo acadêmico" tão a sério. Aliás - nada sério. Estou lendo "Small World", escrito em 1984 e em nenhum momento percebemos a distância de 25 anos. Só quando há cartas envolvidas - e não a internet.

O livro é sobre a vida de alguns professores que passam o tempo todo viajando pelo mundo em congressos, conferências e por aí vai. Um trecho do prólogo:

"The modern conference resembles the pilgrimage of medieval Christendom in that it allows the participants to indulge themselves in all the pleasures and diversions of travel while appearing to be austerely bent on self-improvement. To be sure, there are certain penitential exercises to be performed - the presentation of a paper, perhaps, and certainly listening to the papers of others".

Algo mais ou menos assim:

"A conferência moderna lembra a peregrinação do medieval mundo cristão que permitia aos seus participantes entregarem-se a todos os prazeres e as diversões da viagem enquanto pareciam estar seriamente determinados ao auto-aperfeiçoamento. Obviamente há alguns exercícios de penitência a serem executados - a apresentação de um paper, talvez, e com certeza, ouvir a apresentação dos papers dos outros".


Very funny.

5 comentários:

Elaine disse...

É bem isso...
Mundinho besta, fake, falso brilhante de amenidades e pouca importancia... a única função desta shit toda é manter a ilusão de que as nossas palavras podem preencher o mundo de idéias brilhantes...como se o mundo já não estivesse cheio de palavras inúteis!!!

Elaine disse...

Um regalo que achi por ai...

Los justos

Un hombre que cultiva un jardín, como quería Voltaire.
El que agradece que en la tierra haya música.
El que descubre con placer una etimología.
Dos empleados que en un café del Sur juegan un silencioso ajedrez.
El ceramista que premedita un color y una forma.
Un tipógrafo que compone bien esta página, que tal vez no le agrada
Una mujer y un hombre que leen los tercetos finales de cierto canto.
El que acaricia a un animal dormido.
El que justifica o quiere justificar un mal que le han hecho.
El que agradece que en la tierra haya Stevenson.
El que prefiere que los otros tengan razón.
Esas personas, que se ignoran, están salvando el mundo.

Jorge Luis Borges

abçs, Elaine

Andréa disse...

Elaine,

Eu cada vez amo mais Borges .... e espanhol é tão lindo, né?

Bjs
Andréa

Obs - adorei o "falso brilhante de amenidades e pouca importância"

Veneranda Pedroza disse...

Toda vez que venho aqui me sinto numa confortável sala... então me sento em uma das poltronas, sorvo uma xícara de chocolate quente e nem me importo com o tempo lá fora que continua correndo apressado...
Bjs

Andréa disse...

Querida Veneranda,

Obrigada pelo comentário lindo.

Bjs
Andréa